FÁBRICA DE MILAGRES

Nos últimos tempos tenho me perguntado se Jesus realmente existiu. A pergunta não é nenhuma novidade, alguns historiadores questionam isso, outros não discutem, mas a questão é: Jesus tem um plano para nós? Terá sido ele o primeiro corretor de seguros? – claro, satirizei um pouco, mas, será que as religiões, se é que podem ser chamadas assim também não o fazem? Afinal, são tantas que o IBGE teria um grande trabalho para realizar uma pesquisa, e no mundo? Quantas religiões existem?
Creio que os valores se perderam, mas não sei quais – quem os inventou ? Por que devemos segui-los? Por que existe essa necessidade de ter a religiosidade? Será que é o medo da barbárie? Mas se realmente existe este medo, não somos todos hipócritas? A barbárie acabou, ou a reinventamos em nome de “Deus”, dos lucros, das grandes empresas e da igreja? Até mesmo o salmo que diz: O senhor é meu pastor e nada me faltarás, parece uma deturpação em nome do dinheiro, pois, não seria interessante colocar : O senhor é meu pastor e não me faltarás. Uma simples palavra, uma única palavra e significado muda completamente.
Hoje o dinheiro é Deus! Deus é o dinheiro que compra sua comida, o carro do ano, “traz” felicidades, compra tudo, pode tudo, até dizimar milhares de pessoas no mundo; deixar nossas crianças, nossos velhinhos perecer no frio, com fome e com doenças que nenhum médico consegue detectar, será que Hipócrates se rebelaria contra esses sanguessugas? Será que o “Deus-dinheiro” conseguiria comprá-lo também?

Por: Rodrigo Américo Tardem

Nenhum comentário: