Tudo é muito pouco para os que amam todos os dias...

Não basta estar vivo, é preciso sentir a essencia das coisas - sentir o além, transcender tudo aquilo que precisamos e que não nos basta.
É preciso sentir o coração bater, ouvi-lo, sentir de uma forma rudimentar, estar perto...tão perto para não sufocar, tão longe para sentir-se sem ar; tão perto para deixar-se amar.
Não podemos ficar anestesiados aos nossos sentimentos - às dores, aos amores; a falta de carinho, ao excesso de nós mesmos.
Não devemos ser enganados e nos deixarem enganar - nos enganar e continuar enganando. Não devemos viver pela metade!
Tudo é muito pouco para os que amam todos os dias...

Divagações de um velho bêbado

"Tudo o que era mau atraía-me: Gostava de beber, era preguiçoso, não defendia nenhum deus, nenhuma, opinião política, nenhuma ideia, nenhum ideal. Eu estava instalado no vazio, na inexistência, e aceitava isso. Tudo isso fazia de mim uma pessoa desinteressante. Mas eu não queria ser interessante, era muito difícil."


"É este o problema com a bebida, pensei, enquanto me servia dum copo. Se acontece algo de mau, bebe-se para esquecer; se acontece algo de bom,bebe-se para celebrar, e se nada acontece, bebe-se para que aconteça qualquer coisa."



"Nunca me senti só. Gosto de estar comigo mesmo. Sou a melhor forma de entretenimento que posso encontrar.”


Charles Bukowski

My Blueberry Nights

Existe algo além dessa tal felicidade... Não tenha dúvidas!

Algumas doses fazem muito bem, você não imagina(ou sim)!

Apenas os melhores momentos devem ser guardados...

Pois suspiros e lágrimas podem se confundir e causar dores além da conta.

E não será um abraço ou afago que surtirá alguma diferença;

Pois lágrimas respingam do coração como pequenos pedaços de vidros

Vão cortando, cortando...cortando....!

São cortes irreparáveis

Cicatrizes que doem como a certeza da fome!

Como beijos – que são únicos

Únicos na cumplicidade, estranhos no desejo, - ou no acaso.

É um sentimento tão triste, - único

Nem a dor da morte se iguala

- Nem o sentimento de culpa pós orgasmo solitário

Como se diz adeus a alguém sem o qual não consegue viver?

- Eu não disse adeus!

- Não falei nada...

- Só fui embora.

- E no fim daquela noite, decidi pegar o caminho mais longo para cruzar a rua...

Uars




Depois de ontem, não espero nada, além de mim mesmo....

Depois de muitos drinks, penso na vida...

Caminho sussurrando coisas estranhas...

Nem lembro das últimas palavras que pensei....


Quando olho o mar, penso na imensidão das coisas...

Como se o mundo fosse apenas o chão

O brando do céu é tão puro como as lágrimas....


Não vejo o mundo simples e belo....

Vejo apenas dor e ilusão

Onde você estava quando pensei em você?


O ar não é tão puro como antes...

Veja, - as estrelas ainda estão lá!


Os estranhos sempre olham para o céu...

Veja, somos tão puros quanto nossas verdades...


Estranhos passeiam pelos pensamentos

Enquanto você balbucia algo no ar...

Apenas olho para o chão...

“A Flor e a Náusea”

Carlos Drummond De Andrade

Preso à minha classe e a algumas roupas,Vou de branco pela rua cinzenta.

Melancolias, mercadorias espreitam-me.

Devo seguir até o enjôo? Posso, sem armas, revoltar-me'?

Olhos sujos no relógio da torre:

Não, o tempo não chegou de completa justiça.

O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera.

O tempo pobre, o poeta pobrefundem-se no mesmo impasse.

Em vão me tento explicar, os muros são surdos.

Sob a pele das palavras há cifras e códigos.

O sol consola os doentes e não os renova.As coisas.

Que tristes são as coisas, consideradas sem ênfase.

Vomitar esse tédio sobre a cidade.

Quarenta anos e nenhum problema resolvido, sequer colocado.

Nenhuma carta escrita nem recebida.

Todos os homens voltam para casa.

Estão menos livres mas levam jornaise soletram o mundo, sabendo que o perdem.

Crimes da terra, como perdoá-los?

Tomei parte em muitos, outros escondi.

Alguns achei belos, foram publicados.

Crimes suaves, que ajudam a viver.

Ração diária de erro, distribuída em casa.

Os ferozes padeiros do mal.Os ferozes leiteiros do mal.

Pôr fogo em tudo, inclusive em mim.

Ao menino de 1918 chamavam anarquista.

Porém meu ódio é o melhor de mim.

Com ele me salvoe dou a poucos uma esperança mínima.

Uma flor nasceu na rua!

Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.

Uma flor ainda desbotada

ilude a polícia, rompe o asfalto.

Façam completo silêncio, paralisem os negócios,

garanto que uma flor nasceu.

Sua cor não se percebe.

Suas pétalas não se abrem.

Seu nome não está nos livros.

É feia. Mas é realmente uma flor.

Sento-me no chão da capital do país às cinco horas da tarde

e lentamente passo a mão nessa forma insegura.

Do lado das montanhas, nuvens maciças avolumam-se.

Pequenos pontos brancos movem-se no mar, galinhas em pânico.

É feia.

Mas é uma flor.

Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio.

A Genialidade da Multidão

Há bastante deslealdade, ódio,
violência,
Absurdo no ser humano comum
Para suprir qualquer exército em qualquer dia.
E O Melhor No Assassinato São Aqueles
Que Pregam Contra Ele.
E O Melhor No Ódio São Aqueles
Que Pregam AMOR
E O MELHOR NA GUERRA
--FINALMENTE--SÃO AQUELES QUE
PREGAM
PAZ

Aqueles Que Pregam DEUS
PRECISAM de Deus
Aqueles Que Pregam PAZ
Não têm paz.
AQUELES QUE PREGAM AMOR
NÃO TÊM AMOR
CUIDADO COM OS PREGADORES
Cuidados com os Sabedores.

Cuidado
Com Aqueles Que
Estão SEMPRE
LENDO
LIVROS

Cuidado Com Aqueles Que Detestam
Pobreza Ou Que São Orgulhosos Dela

CUIDADO Com Aqueles Que Elogiam Fácil
Porque Eles Precisam De ELOGIOS De Volta

CUIDADO Com Aqueles Que Censuram Fácil:
Eles Têm Medo Daquilo Que Não Conhecem

Cuidado Com Aqueles Que Procuram Constantes Multidões; Eles Não São Nada Sozinhos

Cuidado
Com O Homem Comum
Com A Mulher Comum
CUIDADO Com O Amor Deles

O Amor Deles É Comum, Procura O Comum
Mas Há Genialidade Em Seu Ódio
Há Bastante Genialidade Em Seu
Ódio Para Matar Você, Para Matar
Qualquer Um.

Sem Esperar Solidão
Sem Entender Solidão
Eles Tentarão Destruir
Qualquer Coisa
Que Seja Diferente
Deles Mesmos

Incapazes
De Criar Arte
Eles Não Irão
Compreender Arte

Eles Vão Considerar Sua Falha
Como Criadores
Apenas Como Uma Falha
Do Mundo

Incapazes De Amar Completamente
Eles Vão ACREDITAR Que Seu Amor É
Incompleto
E ELES VÃO ODIAR
VOCÊ

E Seu Ódio Será Perfeito
Como Um Diamante Brilhante
Como Uma Faca
Como Uma Montanha
COMO UM TIGRE
COMO Cicuta

Sua Mais Fina
ARTE

Charles Bukowski

Célébré avec beaucoup d'alcool

Sentado, esperando um alguém...
- ...que nunca vem
achei um copo vazio....

isso me lembra, bocas, gestos...
pq vc nunca me disse, sinta sua vida...?
viva...
os planos estão no ar

sinta! - apenas sinta!

Ainda existe algo além

seja sempre,
o mesmo, - olhar perdido!

Quando olhamos para horizontes opostos,
percebemos;
- Estamos próximos!

Não há grandiosidade...
Há momentos, eu respondo pra mim. Grandes momentos!

Notícias que mudarão o "mundo"!

AS "NOTÍCIAS" MAIS IMPORTANTES DO "MUNDO".

Quem diria...A crise financeira não poupou nem mesmo a modelo mais bem paga do mundo. Gisele Bündchen, a dona do posto, viu sua renda anual despencar dos US$ 35 milhões, que ela faturou no ano passado, para US$ 25 milhões nos últimos doze meses. Isso de acordo com uma nova lista elaborada pela revista norte-americana “Forbes”.

* Continua sendo uma bolada, mas a diferença impressiona. Já a top alemã Heidi Klum, a segunda modelo mais bem paga do mundo, faturou US$ 16 milhões. Na lista da revista aparecem ainda Kate Moss, com ganhos de US$ 8,5 milhões por ano, Adriana Lima com US$ 8 milhões, Doutzen Kroes com US$ 6 milhões, Alessandra Ambrosio com US$ 6 milhões, Natalia Vodianova e seus US$ 5,5 milhões, Daria Werbowy com US$ 4,5 milhões, Miranda Kerr e mais US$ 3 milhões, Carolyn Murphy com US$ 3 milhões, e a estreante no ranking deste ano, a brasileira Emanuela de Paula, que faturou US$ 2,5 milhões em 2008 e já é considerada "a nova Gisele".

Adriana Lima, Gisele Bündchen, Miranda Kerr, Emanuela de Paula, Alessandra Ambrósio, Daria Werbowy, Heidi Klum, Kate Moss, Doutzen Kroes, Natalia Vodianova: menos dígitos
Fotos: Reprodução

....

Enquanto isso, do outro lado do muro...


Algumas palavras não merecem ser ditas...mas, em algumas situações, a barbárie é necessária para algumas "pessoas".

Um trecho de uma conversa no ônibus

Certa vez um amigo me disse que para escrever era preciso ter tempo. Imdiatamente soltei a pergunta: - Mas que porra afinal é "ter" tempo? Tempo livre, respondeu, tempo livre! Falou isso sem sentir um pingo de remorso. Nosso tempo original, mata virgem, campo aberto, foi medido, demarcado e repartido em fatias devidadente separadas por arame farpado. Pular a cerca pode custar o emprego, a esposa ou a diversão. Não bastasse o espaço, encontrou-se um jeito de fragmentar o tempo.
Falei ao amigo:
---- Minha criatividade não reconhece fronteiras! Para realizar-se, minha criatividade deve ser irremediavelmente indigente, deve abraçar a mendicância.

Ari Almeida
Fonte: http://www.arialmeida.blogger.com.br/

O que é ser mulher?

O que é ser mulher? Às vezes me perguntam isso em entrevistas e fico inclinada a responder que é nascer com cromossomos XX, mas não é esta a resposta que o entrevistador espera, é preciso entrar no espírito do debate, e responder que ser mulher é... ah, não consigo.

Bem que tento entrar no clima do Dia Internacional da Mulher, mas esta data me emociona tanto quanto o Dia da Árvore. Um dia especial para refletir sobre nossa condição? Ora, não faço outra coisa o ano inteiro!

Gosto muito de ser mulher mas não acho que sejamos mais especiais do que os homens. Ou mais maltratadas do que eles. Há gente feliz e infeliz dos dois lados do ringue. E se temos que lutar por melhores salários, mais segurança, uma vida mais digna, isso tem que valer para todos – que seja o dia internacional do ser humano, e não o dia internacional da choradeira.

É claro que ainda há discriminação. Foram séculos de hegemonia masculina e isso não se muda do dia pra noite – e olha que em 50 anos mudou coisa demais. Voto, pílula, faculdade, independência financeira, liberdade sexual. Há mais ainda para ser conquistado, e será. Mas quem vai ajudar as mulheres são elas próprias, principalmente porque somos mães: mães dos futuros políticos, mães dos futuros genros de nossas filhas, mães dos futuros patrões delas, e mães delas mesmas, as futuras mulheres que queremos ver mais realizadas e respeitadas. A responsabilidade é toda nossa. Se acertamos ou erramos, se ganhamos mais ou ganhamos menos do que os homens, se somos tratadas com carinho ou com violência, tudo é decorrência das nossas escolhas e atitudes – e das nossas omissões.

Num mundo com tamanha desigualdade social, claro que nem todas as mulheres têm esclarecimento e poder para assumir sozinhas seu destino. Então briguemos por elas, como fizemos quando a argeliana Amina foi ameaçada de ser apedrejada por ser mãe solteira. O governo africano recebeu uma avalanche de cartas pedindo sua “absolvição”, e deu certo. Aquilo foi quando? Julho, setembro, novembro? Foi feito o que tinha que ser feito na hora em que se fez necessário. É assim que funciona. Fazemos nossa parte todos os dias de março, abril, agosto, dezembro, atendendo as demandas da vida, como árvores que somos, forças da natureza que não precisam de uma data única para lembrar aos outros nossa importância.


Martha Medeiros

Lavoura

É algo que não se comenta...

A maior solidão

A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.

A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo,
o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se, o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.

Vinícius de Moraes