My Blueberry Nights II

Quando achamos que não viveríamos sozinhos, na "solidão" nos deparamos com as situações que a vida 

nos impõe.

As vezes estamos acompanhados de corpo presente e sem calor...

As vezes estamos distantes e temos a real presença do calor...

O tempo modifica as pessoas e elas não percebem, infelizmente!

O tempo modifica os sentimentos das pessoas e elas também não percebem, infelizmente!

O tempo modifica os sentimentos que as pessoas tem por nós e nós por elas e "ninguém" percebe, - ou 

percebem (os) mas, não fazem (os) muita questão de lutar;



A pior solidão chama-se:

Orgulho;

                                     Vaidade;


Morremos e matamos muitas vezes na vida...não percebemos, mas, tudo é vida - raiz - sentimento.

Nos tornamos estranhos para pessoas tão próximas...

Quem explica isso?

Você está na sala e a pessoa está na cozinha e liga no celular para pedir algo - é muita distância para pouco 

espaço - é muita dor para pouco corpo - é muito vazio para pouca alma.

É como a música Sinal Fechado do grande Paulinho da Viola.

Não diga Adeus!

Olá, como vai ? 
Eu vou indo e você, tudo bem? 
Tudo bem eu vou indo correndo 
Pegar meu lugar no futuro, e você? 
Tudo bem, eu vou indo em busca 
De um sono tranquilo, quem sabe ... 
Quanto tempo... pois é... 
Quanto tempo... 
Me perdoe a pressa 
É a alma dos nossos negócios 
Oh! Não tem de quê 
Eu também só ando a cem 
Quando é que você telefona? 
Precisamos nos ver por aí
Pra semana, prometo talvez nos vejamos 
Quem sabe? 
Quanto tempo... pois é... (pois é... quanto tempo...) 
Tanta coisa que eu tinha a dizer 
Mas eu sumi na poeira das ruas 
Eu também tenho algo a dizer 
Mas me foge a lembrança 
Por favor, telefone, eu preciso 
Beber alguma coisa, rapidamente 
Pra semana 
O sinal ... 
Eu espero você 
Vai abrir...
Por favor, não esqueça,
Adeus...

Não deixe o orgulho e os pensamentos sórdidos e vazios tomarem conta de lugares que foram guardados 

para sentimentos puros - sacanas - de amor...de amor...que é lugar que eles devem estar.

No final, com o sentimento de ausência constante, tudo que fica é o sentimento - pensamento e repetição do


“Como se diz adeus a alguém sem o qual não consegue viver?

- Eu não disse adeus!

- Não falei nada...

- Só fui embora.

- E no fim daquela noite, decidi pegar o caminho mais longo para cruzar a rua...